domingo, 18 de dezembro de 2011

Átomos invisíveis...


O invisíveis átomos do ar em volta
palpitam e inflamam-se,
o céu desfaz-se em raios de oiro,
a terra estremece em alvoroço.

Oiço flutuando em ondas de harmonias
rumor de beijos e bater de asas.
Minhas pálpebras fecham-se...

O que acontece?
Diz-me?

Silêncio! É o amor que passa!

Gustavo Adolfo Bécquer

Sem comentários:

Enviar um comentário