quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Hoje, o entardecer...


Era destas cores de azul e rosa e oiro
O dia a entardecer...
Que olhei com o encanto e o prazer
de um milagre de que o amor é o tesoiro.

Há o silêncio natural da hora incerta
imbuída do enlanguescer desta agonia
que plasma em cor e doce melodia
o extenso espaço desta cratera aberta.

Absorta na beleza do momento
consigo esquecer toda a ansiedade
 provocada pelo sentir a soledade
das nuvens de luz tocadas pelo vento...

...ébrias de azul e luz 
 rosas de doçura
na languidez de amor
do sol poente...




Sem comentários:

Enviar um comentário