quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Sei não desistir...


Afremov

!7.01.2011

Apetece tanto desistir de mim
Fechar portas
Entregar-me ao esquecimento.

esquecer que há vida, mundo, conceito...
e a terrível tentação 
de não deixar o leito
e fugir ao pensar
fugir a olhar...
simplesmente florir
com aquela natural sabedoria
e a beleza e harmonia
com que o vento arrasta as folhas
pelo ar.

Hoje, dia sem bruma, com frio, 
 sem vento nem substância
fito indiferente
a distância
sem vontade de dizer Presente...
E estou sempre deste lado,
por aqui...
talvez porque sinta
confusa e triste
que morri de ti.

Sem comentários:

Enviar um comentário