quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Des...encontros...


tantas as  vezes em que chego
e já te não encontro

sinto  mergulhar a alma na noite 
envolta em solidão...

e o escuro dói demais 
como um agudo pranto...
...em hora de aflição.

28.10.2012

sábado, 3 de novembro de 2012

Folhas esquecidas...


Folhas caem com os ventos do outono 
do  velho roble
 no outro lado da rua.

Jazem esparzidas 
 como lágrimas esquecidas
que atapetam o chão.

 Enfrentam a crueldade do inverno
misturadas num pó de exaustão.

Ao rasgar da neblina da manhã
os troncos torcidos e revoltos
 rogam a dádiva de um perdão
 numa prece 
ao vento que a não merece...

Há um tempo que não esquece...
Apenas... apenas porque não.

S.G.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Tempestade...


Libertei a dor pelos espaços
Algemei o amor dentro de mim...

... E naufraguei.

14.09.12