segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Flor de amendoeira...


Houve tempo em que me queixei da vida...
por mal saber que havia flores.


Como amendoeira que floresce com os primeiros calores do ano que mal nasceu ,
um sopro de confiança faz com que floresçam de novo os desertos do coração.
Alentado por este sopro...  desejará aliviar a dor e as duras provas sofridas.
Mas serão precisas abelhas... 

[II.00.VI]


5 comentários:

  1. Poema que pede primavera, ou melhor exige.

    Que venha ela.

    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Longo será este inverno e outros muitos que virão...Mas poder contemplar a primavera será sempre um privilégio
      Assim surja.
      Beijinho.

      Eliminar
  2. Esquecemo-nos tantas vezes de que há flores de tão ocupados que andamos; mas há flores, sim i, como nós também elas murcham...perdem as folhas e só mostram os triste ramos secos. Mas, um dia, eis que o sol começa a aparecer, as folhinhas brotam devagar e finalmente lindas e perfumadas flores aparecem; tudo começa a mudar e depressa chegarão as abelhas para adocicar a vida depois de um longo Inverno.. Assim somos nós...assim é a vida, amiga. Muito bonito! Obrigada por este momento.Beijinhos
    Emília

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida amiga: mesmo sem abelhas, mesmo sem borboletas... a primavera é sempre bela, sempre florida.
      Na vida real. Chuvosa ou não... existe como factor de renovação e de encantamento.
      Beijinho.

      Eliminar
  3. Adoro ver as amendoeiras em flôr, aliás, adoro todo o tipo de flôr, elas alegram a minha alma.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar